Buscar
  • Laís Lima

Teste: Como a maquiagem muda a forma como as pessoas te enxergam

Atualizado: 4 de Nov de 2019


"Na primeira vez que me viu sem maquiagem, meu namorado me perguntou se eu estava doente. O pobre rapaz só estava me namorando há algumas semanas e tinha confundido as minhas olheiras e pele manchada como sintomas de uma doença assustadora. Seis anos mais tarde, ele raramente me vê com maquiagem, e ainda insiste que seu erro inicial foi um resultado infeliz de má iluminação. Ele assegura-me com frequência que prefere meu rosto sem realce cosmético, e parece bastante sincero sobre isso. Eu tenho a sorte de ter um parceiro que gosta de mim do jeito que eu sou, geralmente sem maquiagem. Assim, Quando eu optar por usar maquiagem, é para o meu próprio benefício, e não para satisfazê-lo.
Nem todas as pessoas da minha idade tem tanta sorte. Graças às redes sociais, os jovens e adultos estão mais suscetíveis a críticas da opinião pública, estimulando uma cultura onde as pessoas se preocupam muito com uma aparência perfeita. Nós somos a 'geração #selfie' constantemente se preparando para a próxima foto e raramente mostrando nosso defeitos. Recentemente, ouvi alguns dos meus colegas criticando as fotos de perfil de seus amigos do Facebook, e fiquei chocada. "É uma vadia, por que ela está usa tanta maquiagem para trabalhar?', uma moça disse a seu amigo, e ele respondeu: 'Eu vi ela sem maquiagem, e look de trabalho é definitivamente uma melhoria. Após este exemplo, eu comecei a tomar nota da forma como os outros criticam a aparência, seja julgando a fofura de selfies no Instagram ou observando capa de revista de uma celebridade. Muitas das conversas que ouvi foram realmente muito positivas. Depois de alguns dias de observar os meus amigos e conhecidos, tornou-se claro para mim que a aparência física é um dos tópicos de conversa favoritos da minha geração, para melhor ou para pior." Brinton Parker.


Brinton Parker é uma jovem de 21 anos, estudante da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, resolveu ir à faculdade durante uma semana, usando três diferentes tipos de maquiagem: cara lavadamoderada e pesada. Sua história foi relatada ao site Bustle:


Primeiro dia (Segunda-Feira): ao natural.

No primeiro dia da minha experiência social, eu tive a "sorte" para acordar com uma mancha rosa na minha bochecha. Eu raramente vou com o rosto cheio de maquiagem para a escola, eu costumo apenas clarear minha olheiras e cobrir todas as manchas com um pouco de corretivo e pó translúcido. Depois de ouvir a forma como alguns dos meus colegas discutiam falhas físicas, eu estava um pouco nervosa para passar o dia com a minha face revelada. Aqui estão algumas das reações que recebi durante minhas três aulas do dia:
"Fim de semana difícil?" Rapaz na cafeteria do campus, quando ela me entregou meu café expresso.
"Eu gostaria de ser confiante o suficiente para ir sem maquiagem na escola." Colega enquanto nós caminhávamos para nossos lugares na minha última aula.
"Menina, você está tão exausta quanto eu." Amigo no corredor entre as classes.
"Você está bonita hoje!" Colega na minha aula de meio-dia.

Segundo dia (Quarta-feira): Maquiagem moderada (quotidiana).


Eu estava mais confortável no segundo dia da minha experiência, porque este nível de maquiagem era o mais próximo do qual eu costumava usar. Corretivo, base em pó, rímel, lápis de olho, brilho, blush e batom eram a meu arsenal de beleza na quarta-feira, cobrindo minhas chamadas falhas, mas não alterando completamente composição normal do meu rosto. Previsivelmente, este nível de maquiagem recebeu respostas mais positivas sobre minha experiência, mas eu só recebi reações de outras meninas:
"Você está muito bonita hoje! Qual rímel que você usa?" Colega na minha palestra do meio-dia.
"Eu amo seu blush." ​​Colega em minha última aula.
"Sua maquiagem parece muito boa." Garota sentada à minha frente no ônibus da escola para casa
"Você preenche as sobrancelhas?" Colega após a palestra do meio-dia.


No terceiro e último dia (Sexta-feira): Maquiagem Pesada.


O terceiro dia me levou para fora no meu costume. Eu tentei o contorno facial, pela primeira vez, no último dia da minha experiência. Apesar de todo mundo no Pinterest estar delirante sobre isso nos últimos anos. Eu raramente uso base, e muito menos pó bronzeador, iluminador ou spray fixador! No entanto, libertei minha boneca interior para uma ocasião especial, me sentindo no nível Beyonce de glamour, simplesmente para assistir minhas aulas diárias. Como eu andava de ônibus para minha universidade, eu percebi que conseguiria reações mais interessantes para esta versão do meu rosto. Aqui estão os comentários de destaque em relação a minha aparência no dia final do meu experimento:
"Você está tão sexy!" Colega da minha turma de meio-dia
"Você está participando da Spring Awakening*?" Garçonete no café campus, me fazendo rir ao confundir a minha maquiagem pesada com a maquiagem para a peça que vai ocorrer na escola. *Spring Awakening é um musical sobre sexualidade na adolescência. 
"Você está pronta para o fim de semana, hein? Você parece pronta para a festa." Rapaz na minha última aula do dia.
"Você tem baile está noite? Sua maquigem é muito bonita." Caixa me olhando como uma presa, depois das aulas.


MINHAS CONCLUSÕES:
"No geral, eu esperava muito pior. Como eu eu não posso falar com sobre as coisas que falaram sem que saiba, as reações que ouvi dos meus colegas foram todas amigáveis. Os comentários menos elogiosos foram feitos por preocupação com meu bem-estar, e os comentários positivos foram definitivamente encorajadores. Embora este experimento provavelmente não vai mudar a minha rotina de beleza normal, ele me inspira a sentir-me confiante, independentemente de com qual cara eu esteja. O que as pessoas pensam sobre o meu rosto é irrelevante, porque o meu regime de beleza é o que me faz sentir bem comigo mesmo. Independentemente do que meus colegas pensam, eu ainda estou orgulhosa de todos os meus três rostos."

Fonte: http://www.bustle.com/articles/26095-how-do-people-react-to-different-levels-of-makeup-i-decided-to-find-out



Na minha opinião, essa experiência serviu para mostrar que tanto homens quanto mulheres preferem looks mais naturais, o velho e sábio clichê de que: "menos é mais!"


19 visualizações

Laís Lima cursou Personal Stylist pela Escola de Estilo – Instituto de Ensino Dany Padilha e Consultoria de Imagem com Introdução ao Visagismo pela Ebam – Escola Baiana de Arte & Moda. 

Todos os Direitos Reservados. ©2020 por Laís Lima. (71) 98124-1509